Universo Nintendo

Análise – Kukoos: Lost Pets

Muito potencial com pouco polimento

Definitivamente, há muita competição no reino dos jogos de plataforma. De cabeça, posso citar alguns bastante substanciais que são conhecidos pela maioria dos jogadores: Crash Bandicoot, Super Mario Bros, Sonic, etc. Não diria que é impossível, mas deixar sua marca nessa categoria é uma tarefa bem difícil de realizar. E quando se trata de jogos brasileiros, normalmente esperamos muito deles, pois, no final das contas, é uma representação do nosso país no mundo dos videogames. Dito isso, vamos conferir minha opinião sobre Kukoos: Lost Pets, que é um jogo brasileiro duma empresa de Manaus tentando conquistar seu lugar ao sol.

Um desenho animado de sábado

Mecânicas dos pets são criativas

Kukoos me lembra um desenho animado 3D qualquer de sábado de manhã que eu costumava assistir quando era criança. Em termos de história, o enredo é bastante decente e é uma reminiscência dos jogos de Sonic, nos quais temos que resgatar animais que foram transformados em uma espécie de mutação, e eles podem voltar ao seu estado original quando os derrotamos.

Mergulhando no tópico que mais interessa a todos, a mecânica de jogo, não diria que ela demonstra uma implementação de baixa qualidade, mas é razoável dizer que tudo parece um pouco descuidado e sem polimento. Controlar os personagens me dá uma estranha sensação de imprecisão, e é ainda pior quando você encontra um novo animal de estimação e usa suas habilidades, já que isso não é explicado com muita clareza.

Alguns pets até que funcionam bem

Além disso, o jogo não é nem de longe intuitivo, especialmente porque às vezes é dito para pressionar R para usar a habilidade especial de um animal de estimação, mas, ao mesmo tempo, não diz para você pressionar ZR para usar a habilidade secundária. Me peguei bastante confuso em várias situações, pois tentei de tudo para superar um quebra-cabeça que exigia inicialmente apertar R e depois ZR para resolvê-lo. E esse tipo de situação é visto durante todo o jogo, e até mesmo durante as batalhas contra chefes quando ele instrúi, mais uma vez, pressionar “R” com um ícone grande sobre onde você deve acertar. Não quero soar repetitivo, mas você deve pressionar novamente R e depois ZR, e isso não é informado.

No que diz respeito ao sentido geral de progressão, não tive a sensação de ser tão recompensado, para ser honesto. Existem alguns personagens para você desbloquear, mas nenhum deles tem habilidades diferentes ou características únicas. Todos parecem grandes batatas com roupas, cabelos, e um pouco de seu próprio estilo. Ao longo dos cenários, você coleta moedas, flores e algumas outras coisas colecionáveis. E mesmo assim, acho todos eles sem muito objetivo, pois não há grande utilidade para a maioria.

Polimento diz que sente saudades

Resolução é precária

Agora, esse é o pedaço mais polêmico de todo o jogo: a falta de polimento. Eu me vi andando dentro do chão várias vezes, os controles não respondendo de acordo com o esperado e, principalmente, as habilidades do animal de estimação não funcionando corretamente como deveriam. Aquele que cria uma plataforma flutuante sobre você é o mais “bugado”, pois normalmente não reconhece seu salto e foi executado de uma maneira não muito inteligente, já que é necessário estar embaixo da plataforma para pular e se posicionar acima dela. Quando você está segurando este animal de estimação, ele também impede que você dê grandes saltos, o que é compreensível, pois deve ter algum peso aplicado ao seu personagem, fisicamente falando. No entanto, não é 100% garantido que as regras planejadas para este jogo funcionem.

Agora, mergulhando no design de níveis, eu diria que a maioria deles é maravilhosamente feita, pois todos eles oferecem algum tipo de variedade e diferentes cenários, paisagens, e inimigos para lutar. No entanto, as mecânicas gerais atrapalham a qualidade de cada fase, o que é uma decepção já que todas são bem compostas e apresentam muitas novidades ao longo da jornada.

Co-op é divertido, mas não adiciona muito

Finalmente, há um modo cooperativo para até 4 jogadores no mesmo console. Isso adiciona muito pouco à jogabilidade, pois não tem muita influência sobre a jogabilidade, fora permitir continuar mesmo que nossos parceiros morram. Eles podem reaparecer no próximo ponto de verificação, o que é uma bênção e ajuda no ritmo do jogo. Por fim, os tempos de loading são bem ruins no Switch, além da qualidade gráfica ser precária e a performance não ser muito boa. Definitivamente, esse não é um port indicado caso tenha outras opções.

Deveria ter passado mais tempo no forno

Kukoos: Lost Pets não é um jogo ruim, de forma alguma. Em vez disso, ele poderia ter passado mais tempo no forno para ser entregue em um estado sólido e com muito mais qualidade. Isso prejudica muito a apresentação da empresa e destrói seu relacionamento com seu público, principalmente quando esta é sua primeira tentativa de fazer seu nome através de uma nova franquia. A mecânica de jogo de Kukooks é super criativa e atraente, e me fisgou diretamente, pois sou um grande fã de jogos de plataforma como Crash Bandicoot e Mario. Porém, sinto que o jogo foi muito corrido, sem falar nos seus problemas técnicos em termos de desempenho, sensação de frame-skipping em termos de animações, e a resolução geral que é bem baixa em ambos os modos que o Switch oferece.


Jogo fornecido para análise pela Modus Games.

Kukoos: Lost Pets capa
Kukoos: Lost Pets
Veredito
Apesar de ser um jogo criativo e divertido, Kukoos: Lost Pets sofre com problemas de execução, game design, performance e gráficos.
Prós
Mecânicas são criativas
História cumpre seu papel
Louvável ter co-op
Contras
Personagens são apenas skins
Execução de mecânicas de pets são confusas e desajeitadas
Gráficos muito abaixo da média demonstram falta de otimização
Performance bizarra, que dá a sensação de frame-skipping
5
Polimento faz falta

Publicidade

Publicidade

você pode gostar também
Comentários