Universo Nintendo

Análise – Heaven Dust 2

Algum fã de Resident Evil por aqui?

Já imaginou jogar Resident Evil por um ângulo completamente diferente? É isso que Heaven Dust 2 se propõe, expandindo a fórmula estabelecida pelo jogo anterior; mas será que consegue atender?

Sobre Heaven Dust 2

Heaven Dust 2 é, como o nome sugere, o segundo jogo da série Heaven Dust. Desenvolvido pelo One Gruel Studio e publicado pela indienova, depois da boa recepção do primeiro jogo, Heaven Dust 2 começou a ser produzido logo após o lançamento de seu antecessor, em 2020, e teve uma demo disponível para PC em junho do ano passado.

Com apenas um pequeno atraso no lançamento, inicialmente previsto para o fim de 2021,o jogo saiu mês passado, tanto nos PCs quanto no Nintendo Switch.

História

Novamente comandando Steve, o dorminhoco, em vez de acordar numa mansão, você acorda na câmara criogênica de um laboratório. À exceção do Diretor do lugar, aparentemente, todo mundo virou zumbi, e você, adivinhem, é a pessoa que tem que resolver tudo, enquanto ele fica de boa no escritório fechado dele te passando instruções por rádio.

Você descobre, coletando pedaços de informações de diários, que durante uma coletiva de imprensa, houve um vazamento de vírus, e um ataque de zumbis aconteceu, transformando basicamente todo mundo. Seu objetivo durante o jogo é enfrentar hordas de diferentes tipos de zumbis, resolver quebra-cabeças, alguns deles bem desafiadores, descobrir códigos secretos e juntar pedaços da história para saber como sair de lá.

É uma aventura que cada modo de jogo vai levar cerca de 5 horas, se você souber o que fazer, e diferentes decisões tomadas podem levar a 3 finais diferentes, cada um com suas reviravoltas específicas, deixando a história menos genérica do que em princípio ela parece.

Heaven Dust 2 é uma baita homenagem aos Resident Evil clássicos, transmitindo a mesma atmosfera, incluindo o gore, só que por um ponto de vista diferente.

Jogabilidade

Heaven Dust 2 aposta no ponto de vista isométrico, com câmera fixa. Para evitar o problema óbvio de pontos cegos, as paredes somem quando você se aproxima delas, permitindo que você enxergue o que você está fazendo (embora ainda esconda inimigos escondidos).

A jogabilidade é padrão de jogos de horror e sobrevivências: guarde munição, prepare a mira, atire na cabeça. Fazendo jus à série na qual se inspirou, Heaven Dust 2 tem uma pequena, mas efetiva, quantidade de armas diferentes, cada qual sendo mais eficaz contra um tipo específico de zumbis. Você ainda tem a popular faquinha e dois tipos diferentes de granadas, uma incendiária, outra elétrica.

Mas mais do que atuarem melhor contra tipos específicos de zumbis, algumas dessas armas interagem com partes específicas do cenário, te ajudando a solucionar puzzles e abrindo novas áreas.

A movimentação do Steve é bem simples, basta se acostumar com as direções e os controles, que também são bem intuitivos e dentro do padrão de jogos de tiro. Os puzzles são variados, e embora haja um ou dois repetidos, no geral, a quantidade deles, e a qualidade deles, vai te surpreender para o tamanho do jogo.

Há uma boa porção de backtracking (voltar em partes que você já esteve) depois de pegar novos itens, o que acaba estendendo o mapa do jogo, que não é tão pequeno assim, para a proposta. Eu me surpreendi quando novas áreas começaram a se abrir, e o fato de você ir pegando partes do mapa conforme avança também ajuda a manter o mistério.

As hordas que atacam são desafiadoras e proporcionam alguns sustos, mesmo com o aspecto mais minimalista do jogo, em comparação com jogos de sobrevivência tradicionais. Também gostei da variedade dos bosses, cada um com um jeito diferente de matar. Sem spoilers, a luta contra o boss final é bastante interessante, e a dinâmica dela muda dependendo do final que você for ter, o que é bem feito demais.

Depois de terminar o jogo em cada modo, e conseguir determinados objetivos, você desbloqueia um nível de dificuldade maior e novos itens para começar os jogos novos, tornando cada vez diferente. E os níveis mais difíceis são realmente difíceis. Terminar Heaven Dust 2 no nível Expert é tarefa para os mais ardorosos jogadores de jogos Soulsbourne.

A única língua ocidental disponível, pelo menos no momento, é o inglês, mas a empresa mantém uma boa comunicação e adiciona novos conteúdos com códigos. Inclusive, acabou de entrar em vigor um código que libera um novo lugar, em homenagem ao Ano Novo Chinês. Digite “tiger” e aproveite (os outros códigos podem ser encontrados nos anúncios da desenvolvedora na página do jogo na Steam).

Parte Técnica

O jogo não tem uma trilha sonora, mas a sonorização ambiente é perfeita e imersiva demais. Seja jogando na TV, seja jogando no modo portátil (recomendo fones de ouvido), você vai realmente se sentir na pele do Steve. Do som de cada passo ao som de cada tipo de arma, é notável o carinho empregado pela equipe nesta área.

A parte gráfica também é bem bonita, embora em alguns momentos, a opção por uma paleta mais escura atrapalhe, e você tenha que colocar o brilho no máximo pra enxergar o que está fazendo. A modelagem 3D dos mapas é bem feita, e os cenários são variados o bastante para que você consiga saber pra onde quer voltar, e consiga reconhecer os locais.

A forma como as áreas vão se abrindo conforme você as explora faz com que não fique muita coisa para o Switch processar, e eu zerei três vezes o game tendo encontrado apenas uma situação na qual o jogo quebrou e fechou, que não se repetiu, então claramente foi algo pontual.

Não senti nenhum lag, independentemente da quantidade de inimigos na tela ou quanto de movimentação eles tivessem. É algo esperado para um jogo feito com esse tipo de gráficos, mas que ainda assim, é importante ressaltar.

Conclusão

Heaven Dust 2 é uma pérola para quem ama jogos no estilo de sobrevivência e terror. Uma clara homenagem a Resident Evil, ele não passa vergonha e consegue transmitir a mesma sensação de jogar a série clássica, mesmo por um ponto de vista diferente. A história, apesar de ter premissa clichê, consegue surpreender e te prender, e a ambientação te permite se imergir completamente.

Análise feita com cópia gentilmente cedida pela indienova

Heaven Dust 2
Veredito
Heaven Dust 2 é uma pérola para quem ama jogos no estilo de sobrevivência e terror. Uma clara homenagem a Resident Evil, ele não passa vergonha e consegue transmitir a mesma sensação de jogar a série clássica, mesmo por um ponto de vista diferente. A história, apesar de ter premissa clichê, consegue surpreender e te prender, e a ambientação te permite se imergir completamente.
Prós
Jogabilidade fluida, controles intuitivos
História surpreendente
Puzzles muito bem elaborados que necessitam de exploração de quase todo o mapa
História construída através de diários e relatos
Opções de caminhos diferentes para terminar o jogo
Contras
Personagens rasas
Em alguns momentos, o backtraking cansa
Se você perder algum diálogo, pode ficar sem saber o que fazer
9
Linda homenagem
você pode gostar também
Comentários