Universo Nintendo

#Artigos e Colunas dos Usuários 2 – Zeldaniversário #2: The Legend of Zelda (O primeirão)

HISTÓRIA

Como era muito comum na época, a história está toda no manual:

Hyrule estava em paz, até chegar Ganon e roubar o Triforce do Poder. Triforce são triângulos que concedem poderes a quem os conquistar. Temendo o pior, Zelda quebra o seu Triforce da Sabedoria em 8 pedaços e pede para a sua babá, Impa, escondê-los por Hyrule.
Isso enfurece o porcão, que aprisiona Zelda, enquanto Impa sai em busca de alguém mau o suficiente para salvar o presidente corajoso o suficiente pra enfrentar Ganon.
Então ela é abordada por monstros, mas é salva por um guri de pijama verde e fala “vai tu mesmo”, e ele é doido o suficiente pra arriscar sua vida por gente que ele nunca ouviu falar.

Como ele conseguiu deter monstros sem uma espada? Isso nunca saberemos. Mas aposto que ele tinha bombas.

ZELDINHA VS ZELDA ATUAL

Eu disse que Zeldinha era meu favorito, não? Pois bem, eu tenho alguns motivos (pessoais, antes que vocês se mordam) para explicar porque o considero o melhor Zelda e ponto final, mesmo sendo feio pra caramba (eu já achava ele bem feio, visto que joguei ele junto com Super Mario Bros. 3 e Super C), e aqui vou citá-los:

*Overworld:

Sosseguem suas solitárias, mas Zelda 1 é um jogo de mundo aberto sim. Não venham com esse papinho de que open world é só quando não há telas de transição. Estamos falando de um jogo de 1987, em um console super limitado. O jogo simplesmente te joga no meio do nada e fala “se vira”, você pode ir em cada canto do mapa, só uma ou outra tela necessita de um item para alcançar, mas esse é o único jogo da série onde você já pode ir na primeira dungeon com vários corações extras, dobro de resistência, segunda espada e alguns itens secundários.

Vocês com certeza já perceberam que minhas screenshots mostram o Link com túnica azul, né? É porque eu comprei um Blue Ring em uma loja secreta, ele te deixa mais resistente, a ponto de inimigos do começo precisarem te acertar duas vezes para causar meio coração de dano.

Pois bem, também estou com o Magical Shield, uma vela, bombas, flechas (compre antes de conseguir o arco na primeira dungeon), a White Sword e seis corações, tudo isso antes de entrar na primeira dungeon. Que outro Zelda você pode se equipar tão bem assim desde o começo?

Além disso, você não precisa fazer as dungeons em ordem, mesmo elas sendo numeradas (Level 1, Level 2, etc.).
Algumas realmente precisam de itens obtidos em outras para avançar, mas a maioria delas só te detém se você não for habilidoso o suficiente pra encarar os inimigos de uma dungeon de nível mais avançado.

*Desafio:

Hoje em dia, dá pra fazer o Three Heart Challenge (Terminar o jogo sem pegar corações extras) de boa, principalmente nos Zeldas 3D, cujo mundo são vastos, mas vazios. De inimigos, no Ocarina of Time você só achava um ou outro Peahat perdido, uns corvos e esqueletos que só apareciam de noite, mas quase todos são inofensivos e dá pra ignorá-los de boa. No Zeldinha, o mundo é cheio de praga tentando te atacar, a maioria deles têm projéteis que são terríveis de desviar porque você não pode andar em diagonal (o único defeito do jogo pra mim).

As dungeons também são forradas de gente querendo te matar, principalmente nas mais avançadas. Os bosses do Zeldinha são decepcionantes na real, mas tem Zelda 3D com chefes que nem te atacam…

A dificuldade de Zelda atual está nos puzzles, mas eles hoje em dia parecem mais barreiras do que desafios, aqui o jogo te enfiava em uma sala cheia de Dark Nuts e você só pode sair matando todos eles. Isso que é desafio!

Caso você tire o jogo de letra, ainda pode tentar a segunda quest. Para isso, basta terminar o jogo uma vez (ou colocar ZELDA como nome do seu save file) e você vai recomeçar o jogo com várias diferenças no overworld e dungeons.

*Dungeons

Isso é um manji, antes que falem de nazismo. É um símbolo budista e até o Google Mapas usa esse símbolo pra indicar templos. E a suástica nazista é ao contrário e inclinada.

Aqui eu fico dividido, porque as dungeons agora são coleções de puzzles intermináveis, mas eu gosto pacas de puzzle, e também adoro como as dungeons do Zeldinha são simples. Como dito no item anterior, a dificuldade de um Zelda atual está nos puzzles de suas dungeons, que o fazem ficar mó tempo rachando a cuca tentando resolvê-los. Mas no Zeldinha, os puzzles se limitam a coisas como explodir paredes, matar todos os inimigos de uma sala, ou empurrar o bloco certo pra escada aparecer.

Enfim, novamente repito que são apenas minhas pessoais (e intransferíveis) opiniões, portanto, não devem ser levadas a sério…
Minto, podem ficar de rage aí!!

Até a próxima!

você pode gostar também
Comentários